13 dicas para organizar a vitrine da sua loja de calçados

vitrine loja de calçados

A vitrine de uma loja de calçados, se bem concebida, é capaz de aumentar as vendas em até 30%. É pela organização da vitrine que o consumidor decide, em segundos, se vale a pena ou não entrar naquele ponto de venda.

O lojista não deve deixar um cliente em potencial escapar. Para isso, existem algumas táticas para chamar a atenção do consumidor pela vitrine. Neste post, você vai aprender as mais importantes para organizar a vitrine da loja de calçados. Continue lendo!

1. Entenda o seu público-alvo

Montar uma vitrine perfeita para uma loja de calçados exige, primeiro, que você conheça o seu cliente: seu comportamento, suas preferências e seus interesses pessoais. Levante as seguintes informações: faixa etária, sexo, classe social, quanto gastam em média na loja, quais produtos mais compram, com qual periodicidade vão até a sua revenda.

Isso é importante, pois a vitrine deve ser a extensão da sua loja, que é o ambiente que o cliente já está acostumado.

2. Exiba só o que está no estoque

Coloque na vitrine apenas o que realmente a sua loja tem em estoque. Não há nada mais frustrante para um cliente ver um calçado na vitrine, desejá-lo e descobrir que ele não está mais disponível. Se houver pouquíssimos pares, coloque um aviso ao lado, do tipo: “Última oportunidade” ou “Preço especial”.

3. Tenha um objetivo ou tema

Construa uma decoração a partir de um tema ou um objetivo; não faça uma arrumação aleatória sem antes definir um foco. Os objetivos da sua vitrine de calçados podem ser uma liquidação, a promoção de produtos novos, a mudança de estação, um esporte.

Aproveite as datas comemorativas – Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e Natal – para uma decoração especial. Outros temas que você pode aproveitar são Copa do Mundo, Halloween, Black Friday, carnaval e Páscoa.

Seja criativo para se destacar da concorrência, e em cada temática da decoração coloque
em destaque os produtos mais procurados na época.

4. Faça um projeto e delimite um orçamento

Faça um projeto para a decoração e anote quais materiais você vai precisar. Os mais usados são papel, vidro, isopor, madeira, tecido e placa de poliestireno. Consulte fornecedores para conseguir preços mais baixos.

Se não tiver prática ou se essa não for a sua especialidade, contrate um vitrinista para cuidar disso. Apresente suas ideias e mostre as inspirações que selecionou. Tenha um orçamento.

5. Destaque os produtos que quer vender

Imagine uma linha na altura dos olhos quando organizar uma vitrine com calçados. É nessa região que os produtos que você quer chamar atenção do público devem estar.

No centro da vitrine, uma sugestão do “99 Dicas Essenciais para uma Vitrine Magnética” é colocar um produto com preço muito alto ao lado de um que você quer vender. A lógica dessa tática é que um calçado de R$ 500 se torna barato ao lado de um que custa mais de R$ 1 mil, fazendo com que o cliente perceba que se trata de um excelente custo-benefício.

6. Incentive a venda casada

Para isso, agrupe produtos semelhantes, que combinam entre si ou que estejam relacionados a um preço especial.

Se a campanha for do tipo “2 produtos pelo preço de 1”, coloque juntos todos os calçados que estão participando da ação. Essa estratégia atrai o consumidor, que entrará na loja procurando também mais promoções.

A outra dica é o que os especialistas chamam de consultoria de moda silenciosa, que consiste em expor, lado a lado, produtos que podem ser usados juntos: um chinelo feminino com uma bolsa de praia ou piscina, uma bota de aventura próxima a uma mochila de trilha, uma sapatilha para o inverno e uma meia-calça fio 70.

vitrine loja de calçados

7. Não polua a vitrine da loja de calçados

Um erro dos lojistas é expor produtos em excesso. O ideal é não amontoar os calçados na área destinada à vitrine. Itens demais deixam o cliente sem foco. Não coloque tudo o que você vende em exposição, e sim mostre categorias e estilos.

Espaços vazios, além de tornar a composição harmoniosa, servem para o seu público descansar a visão.

As vitrines das lojas de luxo, por exemplo, têm uma característica em comum: o minimalismo, que valoriza bastante alguns poucos produtos. Pensando nesse conceito, mesmo que a sua loja não venda artigos de grife, tente adotar um visual mais limpo.

8. Faça mudanças com frequência

Consumidores gostam de novidades, e nada mais desanimador do que uma vitrine que permanece com os mesmos produtos por um longo período. Vitrines antigas demais param de despertar o interesse dos clientes.

Defina um cronograma de troca da vitrine. O prazo varia conforme o nível da sua empresa, mas pode ser semanal ou quinzenal. Trocar todos os produtos diariamente não é necessário, mas não deixe de aguçar a curiosidade do seu público-alvo. Se preferir, faça pequenas mudanças todos os dias, de um ou outro calçado.

9. Escolha até três cores

As cores chamam a atenção dos clientes, e cada uma se encaixa melhor em um objetivo. O Sebrae aconselha o uso de até três cores em vitrines.

  • Vermelho: indicado para vitrines de liquidação
  • Cores vibrantes: combinam com verão
  • Tons frios e terrosos: têm a ver com o inverno
  • Cores neutras, como bege, branco e marinho: ideais para vitrines masculinas
  • Amarelo: embora seja uma cor boa para vitrines, é chamativa e desvia o foco do cliente sobre o produto à venda

10. Use a iluminação a seu favor

Tenha uma vitrine iluminada para que as pessoas vejam os produtos, e use pontos de luz para destacar alguns itens. Evite lâmpadas frias, pois elas não passam emoção, use LED para economizar na fatura de energia elétrica e instale spots para que os fios não fiquem aparentes.

11. Mantenha a vitrine limpa

Limpe a vitrine regularmente. Tire a poeira dos acessórios de exposição e dos produtos à venda e use álcool ou limpador específico para deixar o vidro brilhando por dentro e por fora.

Lembre-se que a limpeza atrai o cliente, já a sujeira ajuda a distraí-lo.

12. Ouse nas proporções

Existem basicamente duas formas de construir a decoração de uma vitrine: com proporções simétricas e assimétricas. Nas vitrines simétricas, a distribuição dos calçados é feita de forma para que todos estejam na mesma distância e altura.

As vitrines assimétricas brincam com objetos de decoração de formas e tamanhos diferentes. Elas surpreendem ao colocar uma cadeira ou um criado-mudo pendurados no teto, por exemplo, e usam tamanhos exagerados: pelúcias e bolas gigantes ou tênis e bolsas enormes.

13. Sempre coloque preços

Os preços de todas as mercadorias têm de estar visíveis aos consumidores. Para não poluir o visual, você pode numerar as peças e usar um quadro com os respectivos valores de cada uma.

vitrine loja de calçados
Foto: Daniel von Appen

As letras e os números têm de estar legíveis. Os preços devem ficar visíveis ao consumidor de maneira clara, caso contrário o lojista pode ser multado pelo Procon estadual.

A Fecomércio-SP produziu uma série de vídeos para ajudar o lojista; veja os pontos principais:

  • Letras de tamanhos diferentes, caracteres apagados, rasurados ou borrados não podem ser usados.
  • Placas com letras e fundos de cores semelhantes são proibidas.
  • Não basta apenas indicar que o produto está com desconto, é obrigatório informar o valor à vista.
  • Os preços não podem estar na vertical e nem com mais de um valor atribuído.
  • São vetados preços em outra moeda e sem conversão para real.

Dica extra: contagem de pessoas

O lojista já pode saber quantas pessoas passaram em frente à vitrine, foram atraídas por ela e por quanto tempo olharam os produtos. Algumas empresas vendem esse serviço, que consiste na instalação de câmeras voltadas para a calçada – ou para o corredor, no caso de shoppings e galerias – e transformam as informações dessas imagens em números.

Leia mais:

0 Comentários

    Deixe um Comentário

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password